AMMGeral

AMM defende medidas mais rigorosas para os 141 municípios de Mato Grosso

A Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), encaminhou novamente a todos os prefeitos, as recomendações de medidas sanitárias e de restrição de contatos, em face do crescimento acelerado do número de contaminados e de óbitos registrados nos últimos boletins, publicados pela Secretaria estadual de Saúde

Um outro fator que levou a AMM solicitar aos gestores municipais a implementar as medidas, com mais efetividade e rigor, é a taxa de ocupação de leitos de UTI, que nas últimas semanas, está sendo acima de 70%.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

presidente AMM 1
Neurilan Fraga – Presidente da AMM

O documento foi encaminhado ao governador Mauro Mendes e também aos secretários de Saúde, Gilberto Figueiredo, e ao chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, contendo as medidas que já foram discutidas amplamente com os prefeitos. “Neste momento, precisamos conter o avanço do coronavírus e evitar o colapso no sistema de saúde, adotando medidas preventivas de ordem sanitária e de redução de contato, em todos os municípios. Não se pode deixar de levar em consideração, que uma pessoa que se contamina com o vírus em um pequeno município, e que tenha o seu quadro de saúde agravado, automaticamente ele é encaminhado para Cuiabá e Várzea Grande, onde se concentra a maioria dos hospitais públicos e privados com leitos de UTIs”, disse o presidente da AMM, Neurilan Fraga.

Por conta disso, ele defende que nas próximas semanas, as medidas sanitárias, restritivas e de controle do distanciamento social, sejam implantadas em todos os municípios de Mato Grosso, independente da classificação na Matriz de Risco, que consta no Decreto 522 do Governo do Estado, como forma de controle da pandemia.

No ponto de vista do presidente da AMM, “Não há outro caminho para diminuir a velocidade do contágio do vírus, e evitar a saturação dos leitos de UTI, se não houver um trabalho articulado, integrado e efetivo em todos os municípios, com a participação dos poderes, das instituições, entidades de classe, das organizações não governamentais e da própria população”, garantiu.

Fraga ressaltou ainda que a equipe técnica da AMM, está acompanhando desde o início, a evolução da crise sanitária. “Estamos orientando todos os prefeitos, como proceder no enfrentamento dos casos, garantindo a segurança da população, sem incorrer em atos que possam gerar futuramente penalizações à gestão pública”, disse ele.

As recomendações defendidas pela AMM são as seguintes:

  • O cancelamento de todos os eventos, de qualquer natureza, que envolvam aglomeração de pessoas;
  • A liberação dos servidores públicos acima de sessenta anos, hipertensos, diabéticos, gestantes, lactantes e pessoas com doenças respiratórias, além dos que convivem com pessoas que se estejam no grupo de risco;
  • A suspensão do ponto eletrônico para o controle da jornada dos Servidores Público escalados, devendo adaptar o controle através de livro ponto;
  • Que sejam criadas rotinas para os servidores públicos fazer a higienização com água e sabão ou álcool em gel, limpeza de piso, corrimão, maçaneta e banheiros e principalmente vasos sanitários com álcool ou água sanitária;
  • Redução da carga horária, estimular que trabalhos administrativos e similares ocorram em horários alternativos, bem como o uso do trabalho remoto, evitando que servidores se aglomerem;
  • Restringir as viagens e concessão de diárias aos servidores públicos, autorizada somente por decisão da Comissão Municipal de enfrentamento do Covid-19;
  • Envolver todo o sistema público de saúde no combate à pandemia e na orientação da comunidade sobre as medidas de prevenção;
  • Os profissionais de saúde deverão adotar medidas preventivas mais eficazes para reduzir a capacidade de contágio: “etiqueta respiratória”, higienização frequente das mãos e uso dos equipamentos de proteção individuais;
  • As unidades de saúde, públicas e privadas, deverão iniciar, a triagem rápida para reduzir o tempo de espera no atendimento e a possibilidade de transmissão dentro das unidades de saúde; A suspensão de cirurgias eletivas; manter os ambientes bem ventilados;
  • Atenção especial e cuidado no controle de visitas em hospitais, asilos, casas de passagens e presídio;
  • A suspensão de atividades que envolvam grupos da terceira idade em virtude de estes estarem vulneráreis ao Covid-19;
  • Manter a suspensão das aulas até que a comissão, instalada pela Assembleia Legislativa, a pedido da AMM, para discutir a situação das atividades escolares, defina com segurança o retorno nas redes pública e privada.
  • Estabelecer horários alternativos, diferenciados e reduzidos do funcionamento do comércio, de acordo com a natureza dos serviços prestados, evitando aglomerações;
  • Intensificar a fiscalização e a obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção facial nos estabelecimentos públicos e privados, conforme a Lei 11.110 do Governo do Estado.
  • Em caso da formação de filas externas nos estabelecimentos, garantir a distância mínima de um metro e meio entre as pessoas;
  • Todos os estabelecimentos devem dar total publicidade as regras e recomendações de biossegurança, com a necessidade de manter distanciamento entre as pessoas;
  • É imprescindível que os meios de transporte, principalmente os particulares, que estão transportando passageiros, sigam os protocolos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Ministério da Saúde e Organização Mundial da Saúde;
  • Instalar barreiras sanitárias para controle e triagem na entrada e saída de pessoas, principalmente nos municípios que fazem divisa com outros estados, como o Pará, Amazonas, Rondônia, Goiás, Tocantins;
  • A realização de um grande número de testes rápidos em funcionários da saúde, grupo de riscos ou mesmo de pessoas que trabalham em situações vulneráveis;
  • Recomendar às empresas localizadas no perímetro urbano ou rural dos municípios que tenham mais de dez funcionários, que façam a testagem, além de manter os cuidados sanitários;
  • Estabelecer horário funcionamento, de comércios destinado à venda de bebidas alcoólicas, com o funcionamento das 10h horas da manhã ás 17h;
  • Utilizar os meios de comunicação e tecnologias de teleatendimento, promovendo campanhas de para orientar a população sobre os cuidados necessários para evitar o contágio;
  • Adoção de toque de recolher, no período noturno, preferencialmente das 20h ás 05h da manhã;
  • Que a polícia militar faça ronda policial nos principais pontos das cidades, para evitar aglomerações e fiscalizar a utilização de máscaras por parte da população;
  • Fechamentos das atividades econômicas, exceto as que são consideradas essências e que não provocam o contágio do Covid-19;
  • A utilização do lockdown, quando os municípios tiverem um cenário considerado de altíssimo risco.

AGRONEWS BRASIL – Informação para quem produz

Leia também: https://agronewsbrazil.com.br/conheca-mais-da-raca-american-bully-valentao-americano/

Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar